Skip to main content

Às vezes é bom acreditar na evolução e pensar que o Homem ainda não está concluído.

John M. Henry

A Anatomia da Liderança Evolutiva 720º

A Liderança Evolutiva 720º é a nossa visão sobre como podemos ser os Líderes e Profissionais Optimalistas e não os “melhores”. Pois, somos eternos Líderes e Profissionais Incompletos.

E teremos sempre que saber navegar nos vários ecossistemas pessoais, emocionais, sociais e organizacionais, que os desafios da simultaneidade do caos e ordem, de divergência e convergência, de ambiguidade e clareza, trazem à nossa mente e coração.

Assim, a Liderança Evolutiva 720º é a manifestação ao nível das Pessoas da Engenharia Organizacional (EO) – a nossa visão de um roteiro integrador para o desenvolvimento de pessoas, organizações, cultura e ecossistemas de negócios. A EO está a ter boa aceitação nas organizações e projetos e já desenvolveu de forma orgânica um nickname – o Rato Mickey Organizacional.

São claras as características e dimensões envolvidas no Líder Evolutivo/a:

  • Curioso/a com as Pessoas e Mundo, numa perspetiva interna e externa à organização (720º);
  • Alguém que encontra a sua voz profissional e ajuda os outros a encontrar a sua (hierárquica e horizontalmente);
  • Scout sobre as reais capacidades e aspirações próprias e dos outros e como elas podem como dar origem a um ótimo fit entre pessoas, processos, atividades;
  • Adora cocriar, expandir horizontes e colocar em causa o habitual e viajar no menos óbvio – divergir e abraçar o caos – para depois poder focar naquilo que se torna importante e concretizar no desenvolvimento de produtos, serviços, processos, negócios que possam trazer real impacto e soluções.

Embora assim descrita, esta figura parece algo mitológica, contudo acreditamos firmemente que é possível de ser materializada em nós, profissionais de carne e osso.

Vamos utilizar a Anatomia como analogia sobre como se manifestam as dimensões da Liderança Evolutiva 720º e como estas podem ser trabalhadas e implementadas de forma concreta e real no âmbito do Capital Humano e Inovação Organizacional.

Imagina que existem 2 anatomias. A primeira ligada a zonas e órgãos como o Cérebro, o Coração e os Intestinos. A segunda, mais etérea e subtil, associada a dimensões emocionais e de inteligências múltiplas como a Consciência, Transformação e Ação.

Cérebro, Coração, Intestinos

Mas, o que têm a ver estes órgãos com Pessoas e Organizações?

A neurociência (nos últimos anos) e filosofias de desenvolvimento e evolução pessoal (como o budismo, taoísmo, xintoísmo e ioga por exemplo, há milhares de anos) advogam que a nossa inteligência se manifesta não apenas pelo nosso cérebro, mas também através do nosso coração (amor e emoções) e através dos nossos intestinos (intuição, individualidade, segurança). Cada um destes “órgãos sencientes” possuem neurónios, gânglios e neurotransmissores. Possuem a capacidade de recolher, processar, armazenar, enviar e utilizar informação e sinais sempre que necessário.

A Anatomia da Liderança Evolutiva 720º - Knowmad Ventures

O cérebro está bem equipado para interpretar os vários sinais e estímulos, processar informação, fazer sentido do que nos rodeia e identificar padrões e conexões lógicas.

O coração é craque na habilidade de identificar e processar emoções, sensações e sentimentos, reconhecer os nossos valores e aspirações, é uma fonte de paixão e compaixão.

E os intestinos ou o sistema nervoso entérico estão desenhados para termos a nossa auto perceção de Ser, de preservação. É onde a energia da Coragem está instalada.

Cada vez mais, a estabilidade, a compreensão do todo, a paixão terá que ser gerada dentro de nós, e não materializada e projetada no exterior.

A imensa maioria dos líderes, gestores e profissionais estão neste momento a lidar com uma batalha algo inglória.

Pois, as Pessoas e o Mundo estão a pedir simultaneamente a ti, às tuas equipas, pares, líderes, organização, processos, produtos e serviços uma “pequena lista” – Impactos e Soluções, Coragem, Criatividade, Empatia, Bom Senso, Curiosidade, Saber Interpretar Informação Explícita e Implícita e Escolher Bem.

E, normalmente, estamos a tentar fazer isto apenas com o cérebro, dados, lógica, análises. Instintos e Emoções normalmente costumam ser “competências non gratas”nas Organizações, por muito que se diga e promova o contrário.

Como se manifestam então estas 3 fontes de Inteligência e Sabedoria nos Líderes, Profissionais e Agentes de Mudança?

CORAÇÃO

  • Equilíbrio entre as Necessidades das Pessoas e do Negócio;
  • Criação de Confiança e Transparência;
  • Criação de um Ecossistema de verdadeiro Compromisso e Alinhamento;
  • Reconhecer e Priorizar o que realmente é Importante.

CÉREBRO

  • Repensar e Recriar como as coisas podem ser feitas;
  • Reformular fronteiras e âmbitos quando necessário;
  • Curiosidade e Sensemaking do que se está a passar em formato 720º (interno e externo);
  • Estratégia e Curto-Prazo são imaginados e cocriados de forma simultânea;
  • Inspiração e Mimetismo – Onde estão as novas ideias dentro e fora da organização?

INTESTINO

  • Abraçar os Riscos e principalmente Oportunidades dos dados incompletos;
  • Equilibrar Risco e Recompensa;
  • Ser rigoroso na Integridade do que é importante e encontrar as formas de isso se manifestar na complexidade e dificuldade;
  • Tenacidade e abordagem “furão” no Caminho e Processo, menos foco nas metas e objetivos;
  • Tomar decisões baseadas naquilo que é Importante e Verdade.

 

Mas como referimos anteriormente, existe uma outra anatomia, esta mais de Percurso e Caminho.

Consciência, Transformação, Ação

Criamos um “programa” sobre este princípio, corporizado numa Especialização Avançada em Liderança Evolutiva 720º para Capacitação das Competências Emocionais, Relacionais e Técnicas, que irei facilitar com a colaboração das colegas Edite Amorim e Cláudia Palmeiro, mas queremos partilhar contigo como se pode materializar no teu dia-a-dia a Consciência, Transformação e Ação:

CONSCIÊNCIA

A maior parte de Líderes, Profissionais e Agentes de Mudança não dominam o processo do seu próprio Self Leadership. Este passa por Parar, Olhar para Dentro e Fora e Compreender, como de se um piloto de helicóptero se tratasse.

Só essa Inteligência Emocional e Curiosidade permitem sermos mais efetivos nas decisões de tomados e na escolha dos caminhos que fazem mais sentido.

E quando isso está definido, então sim podemos encontrar as melhores ferramentas de Performance Profissional, e através da Facilitação, transformarmos as nossas equipas e colegas em Consultores Colaborativos Internos.

Toolbox: Self Leadership, Coaching, Inteligência Emocional para Liderança e Organizações, Performance Profissional, Facilitação, Estratégia.

 

TRANSFORMAÇÃO

A impermanência é a constante eterna e nesse sentido estar atento às Pessoas e ao Mundo é valorizar a nossa sustentabilidade e lucro com propósito.

Organizações e Negócios são Ecossistemas e a Inovação vem do contributo de todos os cérebros, corações e intestinos das tuas Pessoas.

Ser Human-Centric é primordialmente entregar o que elas precisam (muitas vezes mais do que gostam) para podermos dar resposta aos seus pains, gains e aspirações.

A Transformação tem a ver com Compreender qual o Caminho e Cenários, criar possibilidades e desenhar as implementações.

Passando a trabalhar muito mais numa ótima de projetos do que processos, em círculos de contexto e competências em vez de hierarquias.

Toolbox: Design Thinking, Creative Problkem Solving, Agile (algumas partes), Liberating Structures, Management3.0, Play#14, Facilitação, Team Coaching, Estratégia Responsiva, Voice of Customer e Value Proposition Design.

 

AÇÃO E MANIFESTAÇÃO

Para tudo o que referi nas dimensões anteriores se poder manifestar, são necessárias interações e conversas, às vezes até mais do que projetos e planos.

Manifestação para mim significam como através das Meaningful Conversations podemos alinhar os cérebros, corações e intestinos para navegar com as mudanças, complexidades, alterações e perdas de chão que irão existir nestas etapas de ação e implementação.

Tem a ver com a forma como podemos de forma deliberada desenhar Equipas e Culturas e manter um misto de estabilidade e agilidade nas mesmas.

Toolbox: Design de Cultura e Equipas, Agile Worfklows, Comunicação e Responsabilidades Transparentes, Agile (muitas partes), Liberating Structures, Management3.0, Play#14, Facilitação.

 

Então a Liderança Evolutiva 720 é “apenas” conseguirmos utilizar mais do que a cabeça para tornarmos real esta visão de Wessel Ganzevoort, que resume de forma espetacular o que é a definitiva consequência de tudo aquilo que partilhámos contigo neste artigo.

“Liderança é sobre como podemos fazer com que as Pessoas se transformem em Quem elas realmente São.”

Wessel Ganzevoort

Quer saber mais sobre Liderança Evolutiva

Leave a Reply